Pages Menu

Postado por em 12 jul 2013 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories | 2 comentários

Chuva, vento e robalos no Canal de Bertioga

Chuva, vento e robalos no Canal de Bertioga

Bom dia amigos pescadores!

E foi debaixo de muita chuva, vento e frio, que mais uma vez descemos para o Canal de Bertioga tentar os Robalos.

A previsão era de que não iria parar de chover o dia inteiro, então já nos prevenimos com as capas de chuvas, aspirinas e muito café quente para aguentar o dia gelado que nos aguardava.

Nê nos esperando para mais uma pescaria

Havíamos encomendado os camarões vivos com o Nilson, que se encontrava na Marina Acqua Azul, lá perto da balsa de Bertioga-Guarujá, mas não foi nada fácil enfrentar a ventania que vinha do mar e entrava no canal com muita força. Abaixo vocês podem conferir um vídeo que fiz deste momento.

Em um trecho que normalmente fazemos em 5 minutos de navegação, levamos cerca de 25 minutos para chegar até a rampa da Marina Acqua Azul. Por lá o Nilson estava fazendo suas entregas aos demais corajosos pescadores que também resolveram enfrentar a chuva e o frio.

Rampa de embarque e desembarque de barcos na Marina Acqua Azul.

Iscas compradas e equipamento montado, vamos pescar!

Resolvemos partir rumo a bóia verde, onde a ventania estava dando uma trégua.

Não demorou muito até que o famoso bagrão amarelo, segundo o Nê: “Série Ouro“, deu as boas vindas.

Primeiro peixe do dia, da "série ouro": Bagre amarelo.

Insistindo mais um pouco, finalmente o rei do mangue apareceu.

Primeiro peixe de verdade, robalinho.

Também perdemos muitos camarões para os ladroezinhos de iscas, e de vez em quando algumas ovevas como essa subiam na robaleira.

Oveva no camarão vivo

Na robaleira do meu pai, uma briga melhorzinha e com as corridas lá no fundo, só poderia ser ela…

Uma briga melhor na robaleira mostrava que o peixe já tinha crescido!

A corvina! Tamanho bom para o canal.

Uma bela corvina pega pelo meu pai.

Então resolvemos nos abrigar em um dos riozinhos do canal de Bertioga. E como tivémos sucesso na pescaria anterior, resolvemos voltar ao rio Puca e tentar alguns arremessos.

Pescando no abrigado Rio Puca

Insisti no Banzai Rig, e eis que um bagrão atacou o Ebi.

Bagre pego no Banzai Rig. U.U"

Mas como no Puca só tinha sinal de bagre, resolvemos partir para o Rio São João.

Rio São João

Ao chegarmos no Rio São João,  encontramos uma água bem menos suja do que se via pelo restante do canal. E foi só arremessar a bóinha, que o primeiro robalinho do São João deu as caras.

Abrindo a contagem dos robalos no Rio São João

Estava infestado deles por lá.

Era só jogar a bóia no lugar certo e robalo na linha.

Mas infelizmente só os tricks estavam tomando conta do local.

Mas infelizmente só os tricks estavam tomando conta do local.

Não dava nem medida para fritar embarcar haha.

E robalo abaixo da medida, volta pra água.

O jeito então foi procurar peixe maior, e resolvemos sair do Rio São João, rumo ao rio Fazenda, em um point famoso chamado “Robalão”.

Mudando de point, saindo do Rio São João...

E chegando ao Rio Fazenda.

Depois de insistir em umas estruturas indicadas pelo Nê, um robalo promissor afundou a bóia com tudo.

Robalinho melhor que entrou na minha linha.

Robalo de medida embarcado!

E em seguida na mesma estrutura, meu pai também fisga um melhorzinho.

Meu pai também com um robalo melhor na linha.

Robalo de medida também embarcado pelo meu pai.

Ficamos insistindo bastante no point e acabou saindo mais um dublêzinho de pevas para fechar o dia.

Dublê de robalos no final da pescaria!

Como já estava ficando tarde e era fim de feriado prolongado, resolvemos encerrar a pescaria para nos prevenir do trânsito.

Mas a missão estava cumprida! Apesar de tomar um banho de chuva gelada, enfrentar a ventania e a disposição para sair da cama, os robalos mais uma vez fizeram todo esforço valer a pena.

Bom final de semana amigos pescadores e boas fisgadas!

Abraços,

André Nagae.

  • Dinei

    Parabéns André, pela pescaria e pelo ótimo relato.
    A pesca de robalos é a que mais gosto, principalmente com varas robaleiras. Que esquema é esse de banzai rig? Vc usa um chumbo solto na linha no lugar do jig head?

    Abraço

    • Anônimo

      Fala Dinei! Obrigado!
      Que legal, eu também gosto muito de pescar com as varas robaleiras, é uma modalidade que não consigo mais largar. O esquema do Banzai Rig é isso mesmo, ao invés de utilizar o jigHead, usa-se o chumbo solto na linha. Uma boa dica é colocar uma missanga entre o anzol e o chumbo, para amortecer o impacto e não desgastar o nó.

      Achei bem produtivo o esquema do Banzai Rig pois além do camarão trabalhar mais livre, parece que o robalo tem mais facilidade na sucção do camarão, devido a não ter o peso do chumbo.

      Vale a pena tentar!
      Abração!