Pages Menu

Postado por em 4 abr 2017 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories, Roteiros de pesca | 2 comentários

Fishing Trip @ Paraty / RJ

Fishing Trip @ Paraty / RJ

Olá amigos pescadores!

Recentemente fiz uma viagem com a minha esposa para Paraty / RJ, a fim de conhecer a famosa operação de pesca do guia Rafael Marcatto.

Já fazia um bom tempo que eu tinha visitado Paraty e nem me lembrava direito de como era a cidade e o turismo por lá, foi um belo reencontro a bela cidade e claro, pescar.

Na ida decidimos ir por Cunha, até mesmo porque o Google Maps apontava como o caminho mais rápido. A estimativa era de percorrer os 273km saindo da Vila Mariana em SP até Paraty em um trajeto de 4h30. Apesar da condição boa de estrada, o que me deixou mais desconfortável foram as intermináveis e acentuadas curvas na estrada que liga Cunha até Paraty. Saímos de SP por volta das 16:00 e chegamos em Paraty as 21:00. Demoramos mais pra sair do caos de São Paulo do que o trajeto em si.

Trajeto de ida pela serra de Cunha. Não recomendado para quem enjoa fácil nas curvas das estradas.

Trajeto de ida pela serra de Cunha. Não recomendado para quem enjoa fácil nas curvas das estradas.

 

Pousada Pardieiro

Recomendada pelo casal Angélica e Bathô, ficamos hospedados na Pousada Pardieiro, que tem excelente localização, estrutura e atendimento.

 

Como a pousada tem horário de café da manhã às 8:00, acabamos saindo um pouco mais tarde do que o horário habitual, mas o ponto bom é que a pousada fica a 15 minutos da Marina Cais de Pedra, onde está localizada a embarcação do guia Rafael Marcatto.

Parceira de pesca Paula, rumo a sua primeira pescaria 100% com iscas artificiais!

Parceira de pesca Paula, rumo a sua primeira pescaria 100% com iscas artificiais!

Chegada a marina Cais de Pedra, prestes a embarcar na lancha do amigo Rafael

Chegada a marina Cais de Pedra, prestes a embarcar na lancha do amigo Rafael

 

A Pescaria

Diferente dos dias em que os amigos Banzai e Bathô pescaram em Paraty, neste dia o mar estava um pouco alto e com muitas marolas, o que acabou ficando diferente daqueles dias em que Paraty parece uma represa. Mas com a segurança da embarcação e experiência do guia, a pescaria foi tranquila no decorrer do dia.

O dia prometia muito calor no mar aberto!

O dia prometia muito calor no mar aberto!

Começamos a pescaria insistindo na pesca de fundo utilizando camarão artificial com jighead. A Paula foi a primeira a fisgar um peixe, de cara um belo Xaréu-Amarelo capturado no camarão Ebi vermelho da NS com jighead de 16 gramas.

Paula e seu primeiro peixe no jighead!

Paula e seu primeiro peixe no jighead!

No primeiro point de pesca que o Rafa nos levou, haviam pegado muitos Xaréus nos dias anteriores, mas o único que saiu pra foto foi esse que a Paula capturou. Seguimos o rumo batendo em outros points e como sugestão do guia, curricamos um pouco para tentar alguma bicuda ou cavala que costumam estar na área nessa época.

Bicuda fisgada no currico com a isca Rapala Magnum

Bicuda fisgada no currico com a isca Rapala Magnum

Devido a chuva dos últimos dias a água estava bastante turva, o que dificultou pescar nos points de Robalo.

O peixe nesse dia estava mais manhoso também, o que fazia com que o jighead fosse trabalhado de forma mais lenta e suave. Utilizando essa técnica a Paula que estava estreando a nova modalidade, teve muito sucesso nas capturas.

Doublê de Pescada-Branca fisgadas no camarão artificial com jighead

Doublê de Pescada-Branca fisgadas no camarão artificial com jighead

E não é que ela gostou de jighead mesmo? O camarão Ebi roxo da NS, fez sucesso com ela.

Peixe-Galo no camarão artificial com jighead.

Peixe-Galo no camarão artificial com jighead.

Já se aproximava do meio-dia e para aproveitarmos melhor a maré que começaria a subir às 13:00, resolvemos parar para almoçar. Então o Rafa sugeriu um restaurante em uma ilha próxima, onde costumam fazer o pit-stop nas pescarias.

Voltando para terra firme para o horário do almoço

Voltando para terra firme para o horário do almoço

Estacionando a embarcação pelo controle remoto do i-Pillot. Que máquina!

Estacionando a embarcação pelo controle remoto do i-Pillot. Que máquina!

A pausa do almoço veio em boa hora, pois aproveitamos para ir ao banheiro, descansar o braço e também fugir da chuva que chegava do mar. O almoço também foi muito caprichado, com uma porção de arroz, feijão preto e uma deliciosa posta de Cavala Verdadeira grelhada.

Almoço do restaurante da tia Dita

Almoço do restaurante da tia Dita

Com as energias repostas, voltamos a ativa na pescaria.

Quem pegou novamente o primeiro peixe do segundo tempo? Ela, é claro! E também somando mais uma nova espécie do dia.

Ubarana capturada pela Paula no camarão Ebi Roxo da NS.

Ubarana capturada pela Paula no camarão Ebi Roxo da NS.

Enquanto isso eu fiquei pra trás e só conseguia fisgar os pequenos, como esse filhote de Badejo-Mira.

Badejo-Mira no camarão com jighead

Badejo-Mira no camarão Ebi roxo da NS com jighead

Doublê de Galo do Rafa e um Mira

Doublê de Galo do Rafa e um Mira

Muitos vermelhos olho-de-cão também estavam no parcel, daqueles do tipo de pescaria de atacado com sabiki 🙂

Muitos vermelhos no fundo

Muitos vermelhos no fundo

Aproveitando o belo espumeiro que se formava com as ondas, resolvi arremessar uma Zig-Zarinha 80 na cor osso, isca que faz muito sucesso com os Carapaus. Não deu outra, Carapau na superfície!

Carapau na zigZarinha

Carapau na zigZarinha

Na saideira, Rafa pegou mais um belo Galo no camarão com jighead.

Peixe-Galo no jighead

Peixe-Galo no jighead

Um dia com muitas espécies capturadas e um baita de um pevão que levou a melhor escapando na borda do barco. Como sempre, o maior sempre escapa 🙁

Muitas estruturas rochosas compõem a região costeira de Paraty

Muitas estruturas rochosas compõem a região costeira de Paraty

Dia de regata no mar de Paraty e Angra

Dia de regata no mar de Paraty e Angra

Por volta das 16:00 encerramos nosso dia no mar de Paraty. Sensação de dever cumprido e enorme satisfação de ver a parceira de pesca tendo muito sucesso em sua primeira pescaria com iscas artificiais. Agradecimento especial a atenção e profissionalismo do guia Rafael Marcatto, que proporcionou um dia muito prazeroso no mar.

Encerramos o dia com o que tem de melhor a beira da piscina da pousada…

Saúde!

Saúde!

 

Último dia

No domingo ainda aproveitamos a parte da manhã para turistar pelo centro histórico de Paraty.

 

Para o trajeto de volta, preferimos retornar pela serra da Tamoios por 2 motivos. Evitar as curvas acentuadas da serra de Cunha e Taubaté e também para explorar um pouco de Ubatuba fazendo alguns pit-stops.

Parada no mirante do Saco da Capela em Ubatuba

Parada no mirante do Saco da Capela em Ubatuba

Pit-Stop de almoço na praia de Itamambuca em Ubatuba

Pit-Stop de almoço na praia de Itamambuca em Ubatuba

Voltando pela Tamoios

Voltando pela Tamoios. Apesar de mais demorada, a estrada é bem mais tranquila do que pegar a serra de Cunha.

E foi essa a nossa viagem a Paraty galera.

Espero que tenham gostado do relato, que apesar de eu não ter pego muitos peixes a viagem e o descanso, já foram mais do que o suficiente para esse final de semana.

Abraços e boas pescarias!

 

Serviço de pesca: Bertioga Fishing Team

Hospedagem: Pousada Pardieiro

  • Gileade Correa

    Show de bola, esta praia Itamabuca ja vi uns videos no youtube, ai é um ponto de Grandes Robalos Flexa… o dificil é acertar o dia, eu ja fui um dia ai sem sucesso, mais é um point bem famoso de robalo flexa, no canto direito onde o rio encontra com a praia…

    • fishingstories

      Valeu Gileade! Pois é, fiquei só de olho naquela entrada do rio, deve ser um excelente ponto de flecha mesmo! O jeito é voltar outro dia com a tralha na mão! Grande abraço!