Pages Menu

Postado por em 3 set 2013 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories | 7 comentários

Ilhas de São Sebastião – Dia fraco

Ilhas de São Sebastião – Dia fraco

Bom dia amigos! No fim do mês de agosto, tivemos uma previsão favorável para sair ao mar e apesar da ótima maré para a pesca em canal, decidimos ir a costeira para matar a saudade. O objetivo era “bater” as ilhas de São Sebastião, partindo da Barra do Una onde meu amigo Pleffer deixa seu barco. O grupo? Pleffer pilotando, meu amigo mergulhador e meteorologista Vlamir (marinheiro de primeira viagem em pesca) e esse que vos fala (Banzai).

Pessoal animado mesmo com o frio.

Partindo com o barco, aquela neblina desconfortável e fria já deixava a impressão de que a pescaria seria igual à da semana passada.

Costeira de São Sebastião com neblina.

Tentamos nos costões próximos ao Una e nenhuma ação, nem na artificial que eu como de costume insistia, nem na isca natural que o Vlamir usava. Depois de um certo tempo, decidimos partir para o montão e aos poucos o tempo foi abrindo. Lá o Vlamir usou bem da sorte de principiante e tirou o dedo, depois de certo tempo até a Cocoroca era bem recebida como captura!

Primeiro peixe do dia, Corcoroca valia nesse dia! rsrs

Em seguida um Salmonete perdido resolveu morder o anzol dele.

Salmonete dando as caras.

Algum tempo depois, quando eu já havia desistido de bater camarão de borracha e passei a linguiçar, peguei uma Maria da Toca.

Maria da Toca resolveu aparecer.

E o Pleffer, acompanhando a boa vibe de peixes zoados nobres, tirou o dedo com uma Corcoroca.

Pleffer comemorando Corcoroca.

As fracas ações foram se repetindo e pegamos algumas variedades de peixes, como essa Salema que o Pleffer achou.

Salema desavisada do jejum dos peixes.

Enquanto o tempo passava, a diversão era tentar tirar algo na natural, pois na artificial eu estava fracassando, uma dor que me atormentava o ombro já estava me fazendo desistir.

Pequeno budião.

Desistimos do Montão de Trigo e partimos para a Ilha das Couves, onde as ações permaneceram em baixa e o jeito foi beber um pouco para relaxar e aproveitar a vista.

Refrescando as ideias.

Já em outro ponto, mais próximo da Barra do Sahy, eu arremesei o camarão montado no Banzai Rig e HALLELLUJAHHHH!!! achei um Badejo Mira!!! Brigou bem e foi solto para crescer, gosto dos Badejos pois sempre salvam minha pele na artificial! rsrsrs

Badejo salvador da Pátria das Artificiais.

A partir daí, fizemos mais algumas capturas de peixes que costumam ficar próximos das pedras.

Dublê de Marimbás.

Vlamir com sua Salema.

Marimbá meu + Jaguariçá do Pleffer.

E era chegada a hora de partir de volta para casa, não houve uma grande quantidade de fisgadas, mas ao menos serviu para navegar pela bela paisagem da região, esquecer os grandes problemas da capital e dar uns arremessos para molhar as iscas.

Sol quase abaixando.

Abraços e uma ótima semana a todos!

  • Vitor Dogakiuchi

    Pescaria bacana,
    Mês passado fizemos uma pescaria no montão e acertamos um cardume de bicudas, com material leve a farra foi garantida.
    Esse peixe Maria da toca se come? certa vez peguei um e fiquei na duvida.

    • Renato Banzai

      Em qual parte do Montão você achou as bicudas?
      Pode-se comê-lo, mas em geral eu solto, tem um aspecto meio esquisito e pelo tamanho, pouca carne.

      • Vitor Dogakiuchi

        Não sei ao certo o local, fomos a noite com o barco toa-toa.
        Acertamos elas depois de pegar o esquema de iscar a sardinha, estávamos colocando sardinha pela metade e só entrava espada. Começamos a colocar a sardinha inteira iscada com o espinhel e deu certo, foram só bicudas de bom tamanho.

        • Renato Banzai

          Então acho que sei onde foi, provavelmente no poção ao sul da Ilha. Da hora! A noite tem umas espadas de dar medo por ali! rsrsrs

  • Vinicius Cabelleira

    Bom dia Renato ‘Banzai’! Venho acompanhando o FishingStories há algum tempo e estou testando algumas técnicas que aprendi com vcs.. Semana retrasada, nos dia 24 e 25/09 fui pescar com meus amigos na Ilha do Montão de Trigo. As expectativas sempre são grandes, mas a pescaria não foi aquela coisa… Realmente a diversidade de peixes encontrados lá é muito boa. Deu de tudo… Marimbá, jaguariçá, roncador, pescada branca, Sargo, aqueles danados de listra amarela que sempre esqueço o nome, entre outros… e a maioria peixes pequenos.. ainda saiu uma pequena garoupa, bicuda. Todos com o esquema parecido com o chicote pra corvina. A noite teve muita espada grande, deu pra “garantir a mistura” kkkkk. Acredito que no verão dê pra aproveitar melhor a região, mas nesse inverno tá difícil…
    Parabéns pelas matérias e Boas pescarias! Ainda tenho vontade de pescar uns robalos com vcs…
    Abraços!

    • Renato Banzai

      Fala Vinícius! Tudo bem? Kkkk Banzai não precisa de aspas, é meu sobrenome de verdade. Putz, o montão é 8-80 sempre, nessa mesma época numa noturna eu peguei umas pescadas de ótimo tamanho. De dia poucas vezes acertei bons peixes, a mais divertida foi quando acertamos um grande cardume de Olhos-de-cão. Mande fotos quando for pescar! Abs e obrigado por comentar!

  • Poxa esse site é muito bom posso garantir uns dos melhores nessa area de pesca aproveito muito as dicas parabéns pessoal!