Pages Menu

Postado por em 17 jul 2013 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories | 3 comentários

O dia do peixe em Bertioga

O dia do peixe em Bertioga

Boa tarde amigos pescadores!

Colocando os relatos em dia, venho aqui compartilhar com vocês uma tentativa de pescaria que fizemos no dia 15/07/2013, sim, em plena segunda-feira.

Tradicionalmente, sempre costumo pescar nesta data, pois é o dia do meu aniversário e geralmente consigo tirar um day off no trabalho. Data que também coincide com o aniversário do Blog e também o dia em que fiz a minha primeira pescaria com a minha mãe, em busca dos robalos.

Então, tralhas arrumadas e bora pescar!

O dia do peixe em Bertioga

O dia amanhecia muito bonito em Bertioga. Com as previsões totalmente favoráveis, tendo lua, maré e clima perfeitos para uma boa pescaria de Robalos.

Por ser dia de semana, a minha parceira de pesca não poderia ser outra, minha mãe.

Prestes a embarcar!

O lindo dia que se abria, trazia novas esperanças e expectativas em fisgar o tão esperado peixe.

O clima parecia estar perfeito para a pescaria.

A construção da nova balsa de Bertioga-Guarujá

Como seguimos as previsões e o tempo estava colaborando bastante, resolvemos sair para o costão em busca de peixes maiores.

Fizemos a rota completa passando pela Ilha dos Guarás, Ilha Rasa, Costão do Perequê até chegar na Ilha do Arvoredo, localizada a frente da Praia do Pernambuco.

Mapeamento do costão de Bertioga-Guarujá. (Fonte da imagem: Google Maps)

Uma parada para tentar o point da Ilha Rasa

Equipe do dia: Eu, minha mãe e o guia Nê.

Navegando rumo a ilha do Arvoredo

Assim como citei acima, tentamos em todos os points das ilhas famosas do costão de Bertioga. Porém sem sucesso.

Tentamos de tudo: Jig, Banzai Rig com camarão artificial, camarão vivo e camarão morto, mas o peixe não queria mesmo abrir a boca.

Chegando na Ilha do Arvoredo.

Até que finalmente chegamos na Ilha do Arvoredo, e depois de insistir um pouco na parte abrigada, minha mãe pega o primeiro peixe do dia. Uma Corcoroca!

No equipamento Ultra Light deu até emoção!

O primeiro peixe do dia! Uma corcoroca pega pela minha mãe.

Mas não deu nem tempo de explorarmos melhor a Ilha, quando de repente um forte e inesperado vento noroeste veio com tudo. O que obrigou a nós e outros pescadores que estavam por lá, como o famoso Welton Germano, fugirmos o mais rápido possível e buscarmos abrigo enquanto o tempo não piorava mais.

Com a chegada brusca do vento Noroeste, o jeito foi procurar abrigo.

Uma pena, pois já fazia muito tempo que eu estava esperando para explorar os Pevões do Arvoredo. Mas infelizmente, contra o mar não dá para brigar.

Então depois de algum tempo de navegação, estávamos de volta ao canal de Bertioga. E mesmo lá que deveria ser mais abrigado, o vento estava castigando.

Já entrando no canal de Bertioga, o vento continuava forte...

E em pouco tempo o dia que era perfeito, se transformava em um verdadeiro pesadelo para a pescaria.

Logo, as nuvens iam se formando também.

Com o vento impossibilitando a pescaria no meio do canal, tivémos que nos abrigar mais ainda, recorrendo aos rios menores de Bertioga.

Com a ventania forte no canal, o jeito foi explorar os braços de rios.

Primeiro tentamos na curva do Rio Fazenda, no famoso point apelidado de “Robalão”.

Primeiro tentamos no Rio Fazendo, tentando pinchar na parte abrigada

Mas por lá, nada bateu. Nem sequer roubavam o camarão vivo!

E não demorou muito até o vento também prejudicar a pescaria por aqueles lados. Então, novamente, mudamos de point.

E finalmente, depois de tanto insistir, saíram os primeiros Robalos do dia! Aleluia!

Depois de tanto insistir, finalmente o primeiro robalo!

Mas infelizmente foram pouquíssimos.

Mesmo nesses points que costumam ser infalíveis para o berçário dos Robalos, a coisa tava feia.

Mas uma pena que mesmo nos pequenos rios, os robalos não estavam ativos... poucos saíram neste dia.

Ao decorrer da tarde, ainda tentamos diversos points, que com a chegada de uma forte chuva, nos obrigou a encerrar a pescaria por alí mesmo.

E mais uma vez o tão sonhado troféu, ficou para a próxima. 😀

 

Mas pescaria é assim mesmo, não é amigos pescadores?

Se pescaria fosse tão fácil assim, não haveriam tantos viciados e insistentes como nós. Que tentamos, tentamos e nunca desistimos de ir atrás do peixe.

Este dia foi o do peixe, mas aguardem que o dia do pescador ainda irá chegar. E os robalos que se preparem!

 

Conclusões

Mesmo o dia não sendo produtivo da maneira que esperávamos, eu só tenho a agradecer!

Pois passei um ótimo dia ao lado de boas pessoas e fazendo o que eu mais gosto, e o mais importante, a 100 km do trabalho em plena segundona, hahaha.

Melhor que isso só tendo peixe na linha mesmo!

 

Apesar deste relato não ter muitas fotos de peixes como de costume, o dia de pescaria rendeu ótimas fotos  proporcionados pela natureza.

Um espetáculo a parte.

Entrada do Rio Iriri

Rio Iriri

Manguezal do Rio Puca

Último point explorado, no Rio São João.

Ilha do Arvoredo, palco de muito peixe grande. Até logo!

 

E é isso aí pessoal!

Espero no próximo relato trazer mais peixes pra vocês.

Mas fica aí o verdadeiro espírito da pesca.

Tempo Feio? Sim. Frio? Muito. Chuva? Talvez. Desistir de pescar? Nunca!

 

Abraços e boa semana,

André Nagae.

  • marcelo silvestre

    Um mal dia de pescaria é melhor que um bom dia de trabalho.

    • Anônimo

      Falou tudo Marcelo!
      É isso mesmo o que importa 🙂
      Obrigado e abraços!

  • Edson Hiroshi

    estar com quem agente gosta fazendo oque mais gostamos não tem preço!!!não foi um dia bom de pescaria,mais um ótimo passeio.
    essa ilha é muito linda!!!