Pages Menu

Postado por em 11 maio 2017 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories, Pescarias | 2 comentários

Pescando em Barra do Cunhaú – RN

Pescando em Barra do Cunhaú – RN

Um dos motivos pelos quais eu trabalho, é para ter a oportunidade de conhecer novos lugares, e seguindo a recomendação do meu amigo Carlos Hideki, resolvi usar uns dias das minhas férias pescando no Rio Grande do Norte, na Barra do Cunhaú!

Barra do Cunhaú?

É uma simpática cidade, situada ao Sul do Rio Grande do Norte. Nela, o Rio Cunhaú encontra o mar, formando um belo estuário que abriga as mais variadas espécies de peixes. Dentre tantas espécies, 3 que são alvo/sonho de todo pescador esportivo:

  • Xaréu-Amarelo
  • Robalo-Flecha
  • Tarpon

Não preciso explicar o porquê da escolha, certo? Além de oferecer a chance de fisgar esses 3 troféus, Barra do Cunhaú tem ótimas praias, facilitando quem leva a família ou esposa a passar por mais do que dias de pesca. Dica: a apenas 15km de lá, fica a famosa praia da Pipa.

A Viagem

O vôo mais barato que encontrei foi partindo do Aeroporto de Viracopos, pela Azul. Resolvi conhecer o aeroporto e fui por lá mesmo, é possível ir para o Cunhaú pelo Aeroporto de Natal (RN), ou o de João Pessoa (PB). De ambos aeroportos o tempo de viagem será parecido, então é só escolher o mais barato e ir, o traslado até Barra do Cunhaú pode ser feito alugando um carro, ou o próprio guia de pesca Jefferson, mais conhecido como Dé, pode ir te buscar.

A primeira perna da viagem, viajei de Azul pelo Aeroporto de Viracopos, gostei bastante da infraestrutura de lá.

O traslado é bem sossegado, todo pela BR-101, que é duplicada. Lembrando que Barra do Cunhaú fica entre 2 aeroportos, o de João Pessoa e o de Natal. A escolha de qual dos dois é bem particular, pois ambos tem praticamente o mesmo tempo de viagem para chegar na Barra do Cunhaú.

De João Pessoa aluguei um carro e fui até Barra do Cunhaú, você pode ir até o Aeroporto de Natal também, escolha a passagem mais barata.

Onde se hospedar?

A cidade tem inúmeras opções de hospedagem, mas uma se destaca pelo bom preço e localização, a que
é cuidada pelo simpático Sr. Zilson, que providencia o café da manhã no horário que for necessário para o pescador (definitivamente, um grande diferencial!), para se ter ideia, tomamos café todos os dias as 5 da manhã. Você pode reservar sua hospedagem diretamente com ele, através do Whatsapp:

(84) 9991-0085 (Sr. Zilson)

Segundo dia de Pescaria

Pousada em ponto estratégico e que flexibiliza para os pescadores o horário do café da manhã.

Digam que são pescadores e que ficaram sabendo da pousada através do Fishing Stories que ele fará um preço especial para vocês!

Equipamento

A tormenta de todos, que equipamento levar? Qual isca? BANZAI TE AJUDA!!! Para facilitar, começarei pelas iscas artificiais (plugs) e jighead que o Dé e o Hideki me recomendaram, a partir disso, vocês podem copiar meu conjunto OU levar algo que achem compatível.

  • Smith – Saruna 80
  • Smith – Saruna 95
  • Jackal – Bonnie 85
  • Tiemco – Red Pepper Baby
  • Rapala – Shad Rap 7

O conjunto que me acompanhou nessas iscas? Óbvio, meu favorito e já viajado conjunto 15lb:

Conjunto de pincho

– Vara Custom by AK 5’8″ 15lb (blank lamiglass)
– Carretilha Daiwa Tatula CT recolhimento 8.1
– Linha Varivas Seabass PE 2 (linha imortal)
– Lider YGK 30lb
– V Snap Decoy

Para os jigheads, usamos uma variedade grande de pesos de jighead, de 8g a 28g! Sendo assim, levei 2 conjunto para jighead:

Conjunto Jighead 1

– Vara G.Loomis 17lb 6’6″ Customizada by Rubones
– Carretilha Daiwa Tatula
– Linha Varivas Casting PE 28lb
– Lider YGK 30lb

Conjunto Jighead/Pincho de Iscas Pesadas

– Vara Waka 6’6″ 20lb Blank
– Molinete Penn Battle 3000
– Linha Varivas Casting PE 28lb
– Lider YGK 40lb

A Pescaria

Estava muito ansioso para pescar por lá, não sabia o que esperar, pois era a minha primeira vez no Nordeste, mesmo como turista. Tomamos um café reforçado, com tapioca, e o Dé veio nos buscar pontualmente as 5:30 da manhã.

Lá em Barra do Cunhaú, 5:30 da manhã o Sol já está trincando!!!

Começamos mais próximos do mar, num ponto profundo e com uma grande correnteza. Logo o Bathô teve ação, um simpático Xaréu Amarelo deu as caras, tirar o dedo antes das 6 da manhã é um luxo que não estamos acostumados!

Bathô e seu Xaréu Amarelo.

Em seguida, eu acertei o meu, também no jighead, o valente Xaréu Amarelo tamanha baby me concedeu a honra de tirar o dedo!

Minha vez de pegar um desses briguentinhos.

E já no primeiro ponto de mangue, visualizamos um cardume de Baby Tarpons! Quero que vocês memorizem essa parte, depois de arremessar a Bonnie, eu joguei uma Saruna 80 Holográfica com barriga laranja e costas verde limão. Um belo tarpon a seguiu e depois, o cardume se foi. Como não sou tonto, memorizei isso!

A vida seguiu, coloquei novamente a minha Bonnie favorita e não demorou para eu fisgar meu primeiro Robalo nordestino. O Bathô acompanhou o ritmo, com um Flechinha ousado que quis aparecer para a foto.

Flechinhas aos montes por lá.

Minha vez! Mal eram 7 da manhã.

E não demorou muito para sermos agraciados com um belo cardume de Robalos Flechas, na trapalhada que acontece nessas horas, com gente enroscando, errando arremesso, fazendo cabeleira, ainda consegui pegar um pra mostrar pra vocês! E mais uma vez na minha bonnie favorita.

Flecha já com bom porte, a Bonnie 85 Amarela/Transparente estava implacável.

A pescaria seguiu com muita ação de peixes menores, paramos para almoçar o lanche que a esposa do Dé preparou para nós, e beber o delicioso suco com frutas da região, tudo incluso no pacote de pesca dele 🙂 CONQUISTAR CLIENTE PELA BARRIGA, é uma ótima estratégia também!

Nova espécie de Robalo

Quando achamos que já sabemos de tudo sobre os Robalos, eis que aparece uma novidade, e ela tem vários nomes pelo Brasil, lá no Cunhaú, chamam de Trick, mas já ouvi o nome de Robalo Alfaiate, Robalo Tarpon/Tarpon Snook, sua espécie é a Centropomus pectinatus, e achei ele diferente pelo olho maior, curvatura no lombo, nadadeira anal maior que o comum, e nadadeira peitorais amareladas com um degradê pro preto. Pegamos muitos desses, e os pequenos eram mais nervosos que os flechas e os pevas. Pelo fishbase, ele chega a 56cm, mas pegamos todos na faixa dos 30cm.

Reparem na nadadeira diferente do Trick.

Robalo Trick / Robalo Alfaiate / Camurim Pema / Tarpon Snook / Centropomus pectinatus.

Para finalizar o primeiro dia de pesca, eu arranquei um Robalo Peva dos bons, insistindo com o jighead.

Pevão para fechar a pescaria!

O Bathô ainda acertou um flechinha com o Magic Stick trabalhado com carinho!

Mais um flechinha que o Bathô achou com o magic stick!

Voltamos para a pousada felizes da vida, na ansiedade de como seria o dia seguinte. Na pousada, ainda dá tempo de um banho de piscina e basta pedir a janta para o Sr. Zilson que ele providencia algo muito super bem preparado para comer. Nota 10 para a porção de Camarões Alho e Óleo e para a Pizza que leva o nome de Cunhaú (camarão + queijo + alho poró + rúcula), tudo isso com uma cerveja bem gelada, faz qualquer paulista querer morar no Rio Grande do Norte!

Chegando da pescaria, tiramos o sal do equipamento e ainda sobra um tempo para relaxar na piscina.

Jantar de boas, com cerveja e observando o movimento na pacata Barra do Cunhaú.

Segundo dia de pesca

O segundo dia prometia, conforme o padrão do dia anterior, os tarpons estariam ativos. Sabendo disso, lembram que eu pedi para vocês memorizarem uma isca do dia anterior?!? Pois é, já coloquei a Saruna 80 no pequeno V Snap (Decoy) e nem imaginava a encrenca que eu cairia.

No primeiro cardume que avistamos, muitos baby tarpons (lá eles chamam de Pema), e todos com aquele comportamento que é uma relação de amor e ódio dos pescadores. Subiam a superfície aleatoriamente, não sabiamos se estavam caçando, respirando, fazendo malabarismo ou apenas olhando os turistas de olhos puxados que estavam ali babando… depois de tentarmos uns 20 trabalhos diferentes de isca, algumas fisgadas com peixes escapando logo em seguida, FINALMENTE eu pesquei o primeiro tarpon da minha vida!!!

Essa vai para o álbum de lembranças! Meu primeiro Tarpon na vida!

Detalhe da boca diferente que ele tem.

O trabalho lento e com toque sutis, era o trabalho da vez! Que emoção tirar um desses, era um sonho de criança, mais uma vez realizado depois de muito suór! Fiz as fotos com o bichinho e logo ele voltou para o bando de delinquentes que aterrorizava a galhada!

Mudamos de ponto e mais uma vez arremessei a santa isca, não precisei de muitos arremessos, até encontrar a encrenca supracitada. Um belo baby tarpon atacou a minha isca, já na primeira corrida eu estava me xingando com o material que usava, sabia que teria trabalho.

Material leve com peixe grande, uma combinação complicada…

Se é que as garateias e snaps suportariam. Mas aí, a experiência minha e do piloteiro fizeram toda a diferença! O Dé foi afastando o barco para evitar enrosco nas galhadas e eu mantive a calma, trabalhando o peixe sem forçar. Foram mais de 15 minutos de briga, tudo devidamente filmado pela gopro (vídeo no final do relato), até que o peixe desse o ar da graça, e surpreendentemente, ele saltou poucas vezes.

Mais de 15 minutos para tirar esse malcriado da água.

Ensaiamos embarcar o peixe umas 10 vezes, mas o bendito sempre que via o puçá, corria para debaixo do barco, ele vendeu caro a derrota, eu já estava me conformando com a escapada, mas DESSA VEZ NÃO filadaputa! Na primeira e única tentativa, embarcamos o peixe, já no puçá, a garatei abriu de vez, mas já era possível tirar fotos, filmar um pouco e prestigiar a ilustre presença do rei prateado no barco!!!

A encrenca que eu arrumei! Ao fundo o Dé de papagaio de pirata.

Muitas fotos do meu troféu da viagem.

Que sensação boa é tirar um troféu, depois de viajar de tão longe, tanto planejamento, ansiedade, pesquisa, economia… nessa hora você percebe que tudo valeu a pena!!!

Prateadão.

Me despedindo.

Ok, é a última.

Como de costume, depois do troféu, a pescaria ficou super relaxada! Ganhamos ostras de presente do nosso guia e então amigo, Dé!

Isso é muito bom!!!

Dé abrindo uma ostra atrás da outra para experimentarmos. Quem aqui já comeu ostra fresca dessa forma?

Outras espécies

Cansados de Tarpons, Flechas e Pevas? Ainda há mais uma espécie que abundante por lá, a Caranha de Mangue!!! O tempo todo fisgávamos alguma, a maioria das vezes, na superfície!

Mais uma Caranha na superfície.

Pequenas e valentes.

O Bathô acertou essa maiorzinha.

Numa das pausas para comer, o Bathô ainda encontrou um Mero lindo de ver!

Desde pequeno, um tratorzinho.

Entre uma parada e outra, o Bathô achava algum Mero, peixe bonito demais!

E numa hora que enrosquei, o Bathô/Rei dos Meros, fisgou e embarcou mais um, dessa vez, menorzinho.

Esse um pouco menor que o outro, todos pegos no camalesma.

*Lembrando que o Mero é uma espécie protegida por lei, seu abate é proibido, portando, a sua soltura é obrigatória!

Pevas

A região, tem muitos robalos pevas. Não achei que os encontraria por lá, mas para mim sempre são bem-vindos! Em nossa insistência nos plugs, encontramos alguns bons. Primeiro um atacou na superfície, e não apareceu mais. Eu insisti com o jighead no mesmo ponto e voilá! Um belo Robalo Peva embarcado!!! O Bathô logo compensou e pegou um maior ainda, na superfície! Que dia de pesca!!! Queria que todos fossem assim, e ainda na companhia de bons amigos!

Pevões deram as caras no fim do dia.

Emprestei a minha isca para o Bathô, adivinhem o que aconteceu?

Vale a pena pescar na Barra do Cunhaú?

Vale muito a pena!!! Cada real gasto com essa viagem valeu a pena, seja pelo bom atendimento que tive, pelas belas paisagens, bons peixes e amizades que fiz. O Dé é um guia extremamente profissional e carismático, sempre com boas histórias e dicas. O Sr. Zilson foi muito solícito e impecável nas refeições por ele oferecidas/vendidas. Coloque tudo isso num bom orçamento, e você terá uma viagem para querer repetir sempre!!!

Querem fazer uma viagem dessas?

Recomendo sem peso na consciência, foram ótimos dias por lá. Deixarei os contatos abaixo:

Guia de Pesca Jefferson Lima: (84) 9939-3634

Pousada Chalés do Cunhaú: (84) 9991-0085

  • Decio Serra Neto

    Linda pescaria Banza e Bathô …. show de bola… quem sabe um dia não visito esse lugar tão maneiro que vocês tiveram a oportunidade de desbravar e revelar para nós aqui do sudeste. grande abraço e boas pescarias!

    • Batho Naoki

      valeu Decio! vai sim, vai curtir demais e approveita p mandar um abraço p Zilson e p Jeferson. valeu!!!