Pages Menu

Postado por em 3 fev 2015 em Água doce, Destaque, Fishing Stories, Pescarias | 3 comentários

Pescando Tucunarés em Bataguassu – MS

Pescando Tucunarés em Bataguassu – MS

Olá pescadores!!! Algumas semanas atrás, fui pescar com o meu amigo Fabiano em Bataguassu-MS. Para quem não conhece, Bataguassu é a cidade que fica na margem oposta a Presidente Epitácio no Rio Paraná, ou Paranazão para os íntimos! Esse é um post mais explicativo e detalhado sobre como planejamos e fizemos a pescaria, aos que se sentirem entediados, podem ir direto ao capítulo A Pescaria 😉

Preparativos

Separei conjuntos para pinchar iscas de superfícies e iscas de meia água. Levei também um conjunto para iscas soft e o meu fly fishing #5.

Conjuntos que escolhi para levar, até o fly foi escalado!

Conjuntos que escolhi para levar, até o fly foi escalado!

De iscas, levei um pouco de tudo, minha vontade era arrebentar na superfícies, mas precavido, levei algumas meia água.

Iscas separadas, a expectativa era gigante!!

Iscas separadas, a expectativa era gigante!!

Viagem

Partimos de São Paulo antes do amanhecer, a viagem é longa, porém com boas estradas. Então basta ir descansado e fazer algumas paradas para que não se chegue quebrado no destino. O melhor caminho partindo de São Paulo é pegar a Castelo Branco até o final, interligar com a Raposo e seguir a vida reto! Chegando na altura de Presidente Epitácio, você pode parar na cidade para abastecer ou comprar alguma comida ou bebida que desejar (a Pousada disponibiliza comida e bebida a preços honestos).

Caminho longo, porém simples e com boas estradas.

Caminho longo, porém simples e com boas estradas.

Ponte que liga Presidente Epitácio-SP a Bataguassu-MS.

Ponte que liga Presidente Epitácio-SP a Bataguassu-MS.

A ponte é bem extensa, passando por ela, adentramos o estado do Mato Grosso do Sul. E logo após a ponte, encontramos o vilarejo de Porto XV, que é bem próximo da pousada que iríamos nos hospedar.

Pousada Bertasso

Passada a ponte, a chegada a Pousada é bem simples, bastando atravessar a pista no acesso a Porto XV. Aqui o link do Google Maps para facilitar a vida de vocês.

Quem quiser entrar em contato, os telefones de lá:

(18) 99703-4843
(18) 98126-9131
(18) 99657-9710

Entrada da Pousada Bertasso, muito fácil de chegar.

Entrada da Pousada Bertasso, muito fácil de chegar.

A pousada possui quartos com ar-condicionado, um ótimo restaurante (devo ter engordado uns 3kg) e toda infraestrutura necessária para receber excursões ou pescadores avulsos. Conta com uma grande quantidade de piloteiros e embarcações prontas para pescadores esportivos. Ou seja, me senti muito bem por lá.

Mas vamos falar da pescaria!!!

A Pescaria

Programamos 3 dias de pescaria e estávamos devidamente instalados, descansamos no primeiro dia e no dia seguinte, por volta das 7:00 da manhã, partimos com nosso guia o Sodinha. Para aquecer, bateríamos os capinzais das lagoas próximas a Pousada e desceríamos em direção aos pontos mais promissores.

Estrutura muito boa para todos os barcos da pousada.

Estrutura muito boa para todos os barcos da pousada.

Não demorou muito e nosso guia encontrou um belo Tucunaré-Amarelo, confesso que já estava espumando de inveja, pois como os meus amigos mais próximos sabem, eu nunca havia pego algum de bom tamanho.

Sodinha demonstrando todo o conhecimento e achando os amarelos! Isca: Brava Transparente.

Sodinha demonstrando todo o conhecimento e achando os amarelos! Isca: Brava Transparente.

Com a minha paciência e calma, passei a concentrar no trabalho da isca. Tentei a superfície, mas não via nenhum ataque. Troquei para a dica do guia e adivinhem?

Meu primeiro Tucunaré-Azul, pra começar, um pequeno, por que não?! Isca: Brava transparente.

Meu primeiro Tucunaré-Azul, pra começar, um pequeno, por que não?! Isca: Brava transparente.

Ainda não era de um tamanho respeitável, mas era significante, o primeiro Tucunaré-Azul da minha vida! foi devidamente comemorado por mim, com uma boa cerveja gelada!!!

Aparentemente, os peixes estavam aumentando o tamanho de acordo eu estudava melhor os trabalhos de isca e claro, escutava os meus parceiros Fabiano e o guia.

Fabiano seguia fazendo a festa com as Traíras.

Fabiano seguia fazendo a festa com as Traíras.

O dia ia passando e eu na expectativa de achar um dos grandes! Paramos para almoçar a marmita que a cozinheira preparou para nós.

Sodinha mandando bem na pilotagem.

Sodinha mandando bem na pilotagem.

Mesmo com a bronca do Guia, eu resolvi testar a isquinha que tive sucesso com os Tucunarés de Paraibuna, a Cultiva Mirabait transparente suspending.

Inesperadamente, um Pacu foi pego com a minha Cultiva Suspending.

Inesperadamente, um Pacu foi pego com a minha Cultiva Suspending.

Depois dessa bizarrice, um rebojo distante e o alerta do guia: tem peixe ali!!! Arremessei precisamente a Cultiva em cima do ponto, e não poderia dar outro resultado.

A Cultiva fez sucesso com os amarelos.

A Cultiva fez sucesso com os amarelos.

Muitas capturas, o suficiente para eu já esquecer do stress da cidade e só me preocupar em encontrar meu troféu!

Belo peixe que é o Tucunaré.

Belo peixe que é o Tucunaré.

O dia seguiu com mais boas capturas de Tucunarés-amarelos, mas sem o tão sonhado Azulão.

Já no segundo dia, fui testar outras modalidades, compramos alguns lambaris (lembrando que na Piracema, só se deve usar lambaris de criação e não capturadas da natureza, pois eles são protegidos por lei) e montei meu conjunto de softbait.

Experimentando a pesca com isca viva: Lambari vivo, iscado pelo "nariz", num anzol wide com anti-enrosco.

Experimentando a pesca com isca viva: Lambari vivo, iscado pelo “nariz”, num anzol wide com anti-enrosco.

O dia não estava fácil, fui alternando iscas para encontrar a preferência dos peixes e sem ação, isquei o tal do lambari para ver se algum peixe gostava. Para meus espanto, em pouquíssimo tempo um azul bonitinho apareceu.

Em seguida, um Azul maiorzinho. Isca: Lambari vivo.

Em seguida, um Azul maiorzinho. Isca: Lambari vivo.

Fiquei realmente impressionado com a eficácia da isca-viva nesse dia. Em geral pesco Robalos e não vejo tanta diferença entre a pesca com artificiais e naturais. Mas o Tucunaré possui uma atração fora do comum pelos gordos lambaris!

Como o dia era de experiências, fui testar as iscas soft! Arremessava um shad com jighead, esperava chegar próximo ao fundo e recolhia ele, trabalhando rápido e com toques de ponta de vara. Deu certo!!!

Acertei na soft! Com Jighead, trabalhando continua e rapidamente.

Acertei na soft! Com Jighead, trabalhando continua e rapidamente.

Nas horas que eu me entediava de pinchar, eu arriscava um Lambari e era peixe garantido na ponta.

Com isca-viva, a pescaria tornou-se super produtiva. Uma ótima opção aos iniciantes.

Com isca-viva, a pescaria tornou-se super produtiva. Uma ótima opção aos iniciantes.

Hora ou outra, aparecia uma piranha para saborear meu Lambari, a piranha é outro peixe protegido durante a Piracema, ou seja, obrigatória a soltura dela.

Dentinhos perigosos da Piranha.

Dentinhos perigosos da Piranha.

O tempo não nos perdoava, fez um Sol daqueles de deixar paulistanos ofegantes. Nesses picos de temperatura, eu acabava pulando na água e nadando um pouco. Sempre advertido da existência de Sucuris, Jacarés, Piranhas e Arraias. Tomava o máximo de cuidado e não abusava.

As piranhas marcaram presença.

As piranhas marcaram presença.

Entre cervejas, risadas e claro, fisgadas, lembrávamos de registrar alguma coisa!

Tucunarés são muito valentes, peixes brigadores que deram trabalho a meu equipamento de 15lbs.

Tucunarés são muito valentes, peixes brigadores que deram trabalho a meu equipamento de 15lbs.

Foram ótimas capturas e eu reservei a foto do meu troféu da viagem para agora! O Sodinha viu um rebojo na minha isca e me mandou insistir no ponto, não tive sucesso. Joguei a meia-água, sem ataque também, coloquei um lambari e…

Meu Azulão! Um pouco mais de 2kg, emoção única de fisgar um desses!

Meu Azulão! Um pouco mais de 2kg, emoção única de fisgar um desses!

Finalmente!!! Acertei um bom!!! Sou iniciante com os Tucunarés e minha emoção foi gigante ao ver esse bruto pular. O sofrimento da varinha de 15lb foi nítido, um desespero de vê-lo levando a linha para as estruturas, entre outras emoções, mas tive sangue frio o suficiente para trabalhar o peixe e trazer ao menos algumas imagens desse belo exemplar:

Detalhe do belo peixe! Fiz questão de soltá-lo, confiram no vídeo que será publicado em breve ;-)

Detalhe do belo peixe! Fiz questão de soltá-lo, confiram no vídeo!

Já com a sensação de missão cumprida, apenas continuei a pescar nessa região de fauna rica e muitos peixes. Quando encontro o peixe que quero, costumo diminuir um pouco o ritmo e ficar só curtindo o dia. Não foi diferente dessa vez! Infelizmente, no terceiro dia o tempo não colaborou, ventos contínuos bagunçaram bem a água como é possível ver na foto a seguir:

Bateu uma bela ventania na região, fracassando nossa última pescaria.

Bateu uma bela ventania na região, fracassando nossa última pescaria.

Sendo assim, com imagens suficientes para demonstrar como é o local, partimos de volta para São Paulo! Pegamos a estrada e viemos sossegados.

Excursões

O Fabiano está organizando excursões para Bataguassu, inclusive pensando no transporte de caiaques para lá. Se você leitor, necessitar de mais informações. Basta entrar em contato por aqui!

Abraços!
Banzai

  • Fabiano Rodrigues

    q saudadesssss desse dia heheheeeeeee logo estaremos na agua denovo certamente

  • Decio Serra Neto

    Pescaria muito top… parabéns Banzai e Fabiano… boas pescarias paraceiro…

  • marcelo silvestre

    Parabéns Banzai, pescaria de tucuna e muito gostosa. Abraço.