Pages Menu

Postado por em 4 nov 2014 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories, Pescarias | 4 comentários

Pescaria de bicudas e guaiviras no Perequê

Pescaria de bicudas e guaiviras no Perequê

Salve amigos pescadores!

Finalmente a época que nós pescadores de traineiras estávamos aguardando chegou. É época de pescaria de rodada em alto-mar.

Com a elevação da temperatura da água do mar já chegando aos 25ºC, logo recebemos diversas notícias das Bicudas encostando em nosso litoral. Chegaram primeiramente nas ilhas do Montão do Trigo e na Queimada Grande, que são mais afastadas do continente e possuem maior profundidade, mas agora o cardume já está muito mais próximo de nossa costa e pudemos encontrá-las neste final de semana na faixa dos 17 metros de profundidade.

A pescaria já estava marcada com o guia Fernando Itano do Perequê já fazia alguns meses, então imaginem a ansiedade em pescar nessas águas novamente.

Chegada ao Guarujá

Chegada ao Guarujá

Logo que chegamos ao Perequê, fomos recepcionados pelo Fernando e o pessoal que fica na praia ajudando com as carretas de transporte e depois também fazem o serviço de limpeza do pescado.

Locais nos ajudando com o transporte das tralhas

Locais nos ajudando com o transporte das tralhas

Na abafada manhã do sábado, muitos barcos já tinham saído pro mar e os outros também seguiam neste mesmo ritmo. Tudo indicava que seria um dia de “congestionamento” marítimo na pescaria de rodada.

Ancoradouro do Perequê

Ancoradouro do Perequê

Não demoramos muito tempo até zarparmos rumo aos 17 metros para encontrar as tão aguardadas bicudas. Mas claro, que não poderíamos deixar de dar aquela curricada básica. Então o amigo Thiago (pescamigos.com) que nos acompanhava nessa pescaria, tratou de colocar uma isca de barbela e cabeça vermelha e foi fatal para capturar a primeira (de muitas) guaiviras do dia.

Registrando o primeiro peixe capturado do dia

Registrando o primeiro peixe capturado do dia

Pequena guaivira que atacou vorazmente a isca de currico

Pequena guaivira que atacou vorazmente a isca de currico

Logo que o Fernando desligou o motor, nos deparamos com um mar muito liso que não via a muito tempo! Parecia até uma represa.

Mar liso nos 17 metros de profundidade

Mar liso nos 17 metros de profundidade

A visibilidade da água estava um show a parte, e então antes de armar as varas de sardinha para bicuda resolvi arriscar uns pinchos no meio daquele marzão utilizando a isca Letal 60 da OCL, na cor verde-limão. E para a minha surpresa um enorme cardume de guaiviras estava por lá.

Guaivira fisgada na isca Letal60 da OCL

Guaivira fisgada na isca Letal60 da OCL

Foi uma bela surpresa pegar algum peixe pinchando no meio do nada!
Enquanto isso na vara de sardinha meu pai fisga a primeira espraga do dia.

Primeira espraga do dia fisgada pelo meu pai

Primeira espraga do dia fisgada pelo meu pai

Logo, Fernando também tira a dele.

Fernando e uma espada capturada

Fernando e uma espada capturada

Enquanto isso eu e o Thiago seguíamos brincando com as guaiviras, mas desta vez resolveram entrar no Jumping Jig!

Bela Guaivira fisgada pelo Thiago

Bela Guaivira fisgada pelo Thiago

Uma Guaivira já maiorzinha fisgada no Jumping Jig Pac 14 gramas da NS, cor glow.

Uma Guaivira já maiorzinha fisgada no Jumping Jig Pac 14 gramas da NS, cor glow.

Uma forte puxada na vara de espera e então meu pai ergue uma espraga monstra.

Espada cara preta

Espada cara preta

Mas como já se passavam das 9 da manhã e só estávamos tendo ação de espada e guaivira, o Fernando resolveu mudar de ponto para irmos em busca do nosso peixe-alvo, a bicuda.

Acreditem, foi parar o motor e o Fernando anunciar “É por aqui que elas estão comendo”. E 5 minutos depois volta o Fernando lá da proa com peixe na mão falando: “Pessoal, bora iscar filet de sardinha porquê elas estão por aqui mesmo!”

Fernando e a primeira bicuda do dia

Fernando e a primeira bicuda do dia

E aí virou festa! O cardume estava realmente alí.

Minha primeira bicuda do dia

Minha primeira bicuda do dia

Thiago e sua bicuda

Thiago e sua bicuda

Meu pai e sua bicuda, essa já de um bom tamanho

Meu pai e sua bicuda, essa já de um bom tamanho

No meio do gigantesco cardume de bicudas, acabaram saindo alguns exemplares inusitados como esta savelha. O mais engraçado é que as savelhas eram as presas das bicudas e espadas e mesmo assim estavam no meio do frenesi todo se alimentando. Lógico que aproveitamos para pegar algumas no sabiki e iscá-las vivas na bóia.

Savelha fisgada no meio do cardume de bicudas

Savelha fisgada no meio do cardume de bicudas

No plug o amigo Thiago ainda pegou mais algumas guaiviras.

Guaivira no plug de barbela

Guaivira no plug de barbela

E eu segui insistindo no jumping jig trabalhando-o na meia água, sem deixar chegar ao fundo. E aí descobri mais uma boa técnica para fisgar esses peixes na rodada. Olhando o sonar, o cardume estava a cerca de 5 a 6 metros de profundidade. Como o plug já não consegue atingir esta profundidade, resolvi insistir no jumping jig trabalhando ele com pindocadas e recolhendo nesta faixa dos 5 a 6 metros. E foi um tiro certeiro! Pegamos muitas bicudas nesta técnica.

Dublê de bicudas no Jumping Jig pac da NS na cor glow

Dublê de bicudas no Jumping Jig pac da NS na cor glow

Bicuda fisgada no jumping jig Hana de 8 gramas da NS

Bicuda fisgada no jumping jig Hana de 8 gramas da NS

Tinha tanta bicuda que fazíamos vários dublês e triblês, seja na sardinha ou na artificial.

Triblê de bicudas

Triblê de bicudas fisgadas! Thiago usando JJ Pac Glow, eu usando o Hana e sr. Edelcio com sardinha

E para fechar a pescaria com chave de ouro, sr. Edelcio, pai do amigo Thiago, fisgou uma linda prejereba na sardinha iscada na bóia.

Prejereba fisgada por Edelcio

Prejereba fisgada por Edelcio

Fazia tempo que não acompanhava a briga deste peixe de perto. Que briga! Afundou a bóia e a perdemos de vista, depois disso foi trabalhar o peixe com calma e contar com a ajuda dos tripulantes do barco para trazer o troféu a tona. Meus parabéns ao sr. Edelcio, sua primeira de muitas prejerebas em alto mar.

E foi isso aí pescadores!

Está aberta a temporada de bicudas e também da pescaria de rodada em alto mar. Uma das pescarias que mais curto fazer, onde além de podermos fisgar ótimos exemplares, podemos nos deparar com as mais diversas espécies de peixes dessa época de águas quentes. Estamos só começando a temporada com bicudas, guaiviras e prejerebas. Logo mais a coisa ficará melhor ainda com a água chegando aos 27º e os majestosos Dourados-do-mar chegarem para fazer nossas carretilhas cantar.

 

Guia Fernando Itano

  • (13) 99740-1478
  • (13) 3353-2258

Iscas utilizadas

  • Jumping Jig Pac 14gr da NS – Cor: Glow
  • Jumping Jig Hana 8gr da NS – Cor: Glow
  • Plug Letal 60 da OCL – Cor: Verde-limão
  • Plug Rapala Shad Rap – Cor: RedHead

Aplicativo que utilizo para condições do tempo

Abraços e boas pescarias!
Nagae

  • Decio Serra Neto

    Bela pescaria Nagae, parabéns a todos os participantes pela jornada…. deu maior vontade de pescar… pena que a grana ta curta e o tempo tbm… grande abraço

  • Paulo De Tarso Dualiby

    Arrebentaram, parabéns!!!!

  • Marcelo Silvestre

    Bela pescaria Nagae, quando as bicudas aparecem é uma festa…. Parabéns.

  • Marcelo Lanzara

    Show de pescaria, mas ONDE ESTÃO AS GOTCHAS??? Não podem faltar quando tem notícias de bicudas!!! kkkkkk, Abração e parabéns pela jornada.

  • Pingback: Bicudas no Perequê (Guarujá/SP) | Fishing Stories()