Pages Menu

Postado por em 2 ago 2012 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories, Points | 8 comentários

Pescaria de costeira em Bertioga

Pescaria de costeira em Bertioga

Boa tarde amigos pescadores!

Depois de uma longa data e pela indicação do Edinho da Náutica Chinen, marquei uma saída com o Guia Nei que possui o seu barco alí mesmo na Náutica. Famoso pela sua experiência em pescarias costeiras pela região, decidi me aventurar também nesta modalidade de pesca embarcada, mas lógico que nunca deixando a pescaria de rodada com camarão vivo de lado.

Durante esse tempo de espera até o tão esperado dia de pesca chegar, conversei com o amigo Pleffer que me confirmou toda a fama do Nei, por ser um cara extremamente gente boa, prestativo e fera mesmo quando o assunto é costeira com artificiais. E aí, a empolgação só aumentava!

Jigs comprados, tralha revisada, tábua da maré consultada e pescaria confirmada, bora partir para o litoral!

O grande guia Nei já com o barco preparado para zarparmos.

Edinho nos dando uma ajuda para transportar as tralhas

Conversando com o Nei, ele nos aconselhou logo no começo da manhã não perdermos tempo e logo seguir para a costeira na saída da barra de Bertioga. Por isso mesmo fomos preparando as tralhas durante o curto percurso até o point.

Carretilhas para Jiggar (Daiwa MegaForce twichin bar + Shimano Bass One XT)

Estreando a varinha nova do Nihon (Shimano Holyday Iso XT + Daiwa Liberty)

E em menos de 10 minutos de navegação já chegamos ao point conhecido como Lajinha da barra. O mar estava meio mexido, com algumas ondas irregulares que acabavam dificultando a utilização da robaleira.

Chegada ao point da lajinha, na saída da barra de Bertioga

O jeito então era jigar! O Nei insistia no seu Pac da NS rosa, o meu pai em uma Seaside Devil laranja e eu com uma Pac pata de caranguejo. Então, dá-lhe jig!

Todos prontos para jigar.

Logo de cara meu pai acerta um pampinho no jig, pensamos que era um bitelo já, mas ao subir o peixe, o pampinho tinha sido fisgado pelas costas, e somando a esportividade desse peixe, a brincadeira foi boa!

Pampo pego no jig da Seaside Devil, cor laranja.

E logo pela manhã, com menos de 30 minutos de água na linha, uma baita de uma pancada tinha atingido o Jig do Nei.

Nei travando uma bela briga com o misterioso peixe

E o tempo ia passando e nada do peixe subir, eram muitas descarregadas de linha lá no fundão a toda hora… mas de repente depois de algumas cabeçadas do peixe a linha parece triscar nas rochas ao fundo. E em um momento de tristeza a linha se afrouxa totalmente e todos pensando que o peixe já era… quando novamente a linha se estica com força total, e desta vez sem nenhum ruído de pedra.

Peixe levando a linha para o fundo rochoso da laje.

Isso segundo o Nei era claramente o peixe ter levado a isca para alguma estrutura lá no fundo, e fazendo com que a linha enganchasse em alguma rocha. Mas graças ao líder de fluor utilizado, tudo correu certo até que ele finalmente resolver dar as caras.

O belo Sargo de beiço dando as caras

Um belo Sargo de beiço de 4kgs.

Sargo de beiço de 4kg

E analisando novamente a isca utilizada pelo Nei, percebi que o assist hook que ele utilizava era diferente do que eu estava acostumado a ver e usar. Geralmente uso os assist hooks da Shout, mas tenho que admitir que são extremamente caros pela simplicidade que são, e gostei muito do esquema adotado pelo Nei, além de se mostrar muito efetivo também. Consiste em nada mais do que o jig envolto de 2 giradores presos por anzóis wide gap para robalo. Além de ser muito mais em conta, a garantia de fisgar o peixe é muito maior.

Assist Hook caseiro adotado pelo Nei

Ainda tentamos insistir mais um tempo na lajinha, mas os únicos que deram as caras foram as espragas. E como não queríamos gastar os camarões e nem arriscar de perder os jigs com elas, decidimos mudar o point e tentar a sorte na ilha do Guará.

Ilha do Guará, também localizada na costeira do Guarujá

Por lá já estavam o experiente guia Welton Germano e o irmão do Nei também.
Mas o mar por aqueles lados estava realmente muito revolto, então não ficamos nem 20 minutos lá e já voltamos para o canal para pegar o final da enchente no ponto da Balsa de Bertioga.

De volta ao canal, fazendo a pescaria de rodada com camarão vivo

Canal de Bertioga na altura da Balsa

A tristeza do dia era por conta dos camarões vivos, além de estarem com um preço muito alto, cerca de R$1,00 p/ un. Estavam também extremamente pequenos.. com cerca de 5 a 6cm no máximo. Somente um se destacava no viveiro, deve ter vindo por engano um gigante camarão Rosa que dava até medo de pegar.

Camarões vivos no reservatório

Chegando por lá, começamos com uma ação de uma corvinota batendo na robaleira do meu pai.

Corvina pega no camarão-vivo

E em seguida acertamos um carduminho de tricks que estavam por lá a todo vapor.

Robalo trick pego no JJ

Robalinhos destes eram pegos a todo momento

No meio dos tricks veio um mais pesadinho, mas porém muito feio.

Peixe Sapo pego na robaleira com camarão-vivo

O tempo passava e o Nei sugeriu que fossemos tentar um outro ponto, ao lado da Náutica Nacionais, na entrada do Rio Itapanhaú. Por lá já acertei um pevinha melhor, este já dava até medida!

Robalo Peva

Mas também, tricks não deixavam de aparecer novamente.

Robalinhos estavam muito ativos com os camarões

Foi então, que o Nei decide mudar o seu Jig para um camarão artificial Maré branco, e insistiu nas pindocadas até que….

Novamente o Nei com um belo peixe engatado

Impressionante, o Nei estava somente com 1 varinha, alternando entre jigs e camarões de borracha, mas todas ações que davam na vara dele eram peixes de respeito. Desta vez quem deu as caras foi uma bela Pescada Amarela, na faixa dos 2kg.

Pescada Amarela pega no camarão Maré

Nei com mais um troféu: Pescada Amarela de 2kg

É isso aí né? Quem sabe, sabe! hehehe.
Um tempinho depois de pegar a Pescada, o Nei entrou em contato com os amigos dele que estavam espalhados para o canal, e decidimos tocar para o ponto que fica debaixo da rodovia Rio-Santos.

Ponto famoso por ter grande atividade de pescadas

Chegando lá armei a minha robaleira, e logo desci o meu velho jig Pac dourado em busca de alguma ação. E quem resolve dar as caras é um velho amigo também “douradinho”.

Baiacú bandeira pego no JJ Pac dourado da NS

Insistimos o final da pescaria por lá mesmo, mas só os tricks e espadas deram as caras. E logo com o final da bateria da câmera, chegava também o final do nosso dia de pesca.

Câmera GoPRO Hero, que utilizo para registrar minhas pescarias

Retornando a Náutica Chinen

Matando a fome pós pesca com um tempurá de camarão e uma coxinha, ambos vendidos na lanchonete da Náutica

E foi isso aí amigos pescadores!
O test-drive com o guia Nei havia sido acima das minhas expectativas. Me impressionou toda calma e persistência desse guia experiente que é ele. Creio que ainda tenho muito o que aprender com ele e podem ter certeza que todo esse conhecimento adquirido estarei compartilhando com vocês amigos leitores. E para quem quiser o contato do Nei é só me mandar um comentário que vamos nos falando.

E lógico, não poderia deixar de citar a Náutica Chinen, pelo seu sempre ótimo serviço realizado e toda atenção do Edinho que sempre nos auxilia com os procedimentos e informações das pescarias. Não preciso nem dizer que recomendo né?

Um abraço e boas pescarias!
André Nagae.

  • Takao_naka1

    bela pescaria
    parabens
    como entro em contato com o guia Nei
    pode me mandar no meu email
    takao_naka1@hotmail:disqus .com

    • Anônimo

      Bom dia Takao, tudo bem?
      Obrigado pelos elogios a pescaria! E pode deixar que em breve te mandarei o email com o contato do guia.
      Abraços!
      André Nagae.

  • Pingback: Pesca Trade Show 2012 « Fishing Stories()

  • umberto

    bela pescaria!!!
    em média qual é o valor para fazer uma pescaria como esse que você fez??
    abraço

    • Anônimo

      Fala Umberto! Beleza?
      Obrigado pelos elogios e visita ao blog!
      Em média uma pescaria dessa no canal de Bertioga sai R$400,00 o frete para até 3 pescadores. O camarão vivo está sendo vendida em uma média de R$1/por unidade, o valor dele varia bastante de época em época. Geralmente para as minhas pescarias com o meu pai compramos 100 unidades.

      Dia 29 estarei lá novamente!
      Obrigado!
      Abraços e boa pescaria.
      André Nagae.

      • Umberto

        André,obrigado pelas dicas!!
        Você teria alguns guias de pesca para me endicar?
        Abraço
        Umberto

        • Anônimo

          Boa noite Umberto! Tudo bem?
          De nada parceiro! O que eu puder ajudar, pode contar comigo!
          De guia para indicar eu tenho o Ne, este que fez a pescaria comigo neste relato de pesca. O telefone dele é (13) 9795-3280. O Ne tem mais 2 parceiros que trabalham com ele como guia, que são o seu irmão e mais um amigo. Ambos estão muito bem capacitados para guiar no canal de Bertioga e Costeira, e indico para você esta equipe sem dúvidas!

          Domingo fiz mais uma pescaria com o Ne, e acertamos bons robalos pevas na costeira do Guarujá, amanhã o relato sairá aqui no blog, portanto fique ligado nas próximas atualizações com mais dicas de pesca!

          Espero que de tudo certo para a sua pescaria, e se precisar de mais algo é só me chamar parceiro!

          Abraços e boas pescarias Umberto.
          Nagae.

          • umberto

            valeu + uma vez cara!!
            bela pescaria!
            grande abraço!
            Umberto

  • Rogerio

    Boa tarde amigo tenho um barco de alumínio 16 pés como faço para chegar nesse ponto chamado Lajinha se puder mandar resposta por e-mail segue rovanvi@gmail. Com grato Rogerio