Pages Menu

Postado por em 28 ago 2013 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories | 1 comentário

Pescaria de Domingo no Canal de Bertioga

Pescaria de Domingo no Canal de Bertioga

Bem amigos da rede gl… pescadores, estamos aqui para relatar mais uma pescaria de domingo! Com a previsão de mar ruim para o final de semana, optamos por sair para o Canal no domingo, pois a maré correria 10cm a menos que sábado. Sabendo que o tempo abriria, nem me preocupei em levar capa de chuva ou blusas. Mas ao descer a serra no meio de uma forte neblina, percebi que não devemos confiar nas previsões de céu aberto.

Pequeno porto para passageiros no Rio Itapanhaú.

Mas pescador enfrenta as adversidades sem reclamar, e minha febre por peixes me fez ignorar o frio. Partimos do Itapanhaú e como não conhecemos muito bem os points por lá, descemos rodando e batendo as margens, o que já resultou em algumas ações. Até que finalmente tirei o dedo com um simpático robalinho peva, usando meu vício, o Banzai Rig.

Tirando o dedo com um pequeno Robalo Peva.

Depois dessa captura a maré passou a vazar com muita força, o que impossibilitou a nossa permanência no rio, então decidimos partir rumo a Bóia Verde no Canal.

No caminho encontramos e cumprimentamos nada mais nada menos que o Nagae! Ele estava pescando bagre para montar o relato anterior.

Nagae e Melina no poção.

Pouco antes de chegar na Bóia Verde, tentamos um ponto e um pequeno Flecha resolveu dar o ar da graça.

Flechinha dando as caras.

Nesse mesmo ponto, tive muitas ações até que:

Mordida dos baiacus.

Mais um arremesso e… HORA DE MUDAR DE PONTO!!!

A lenda do camarão sem cabeça!

Na região da bóia verde, resolvi testar o equipamento do Pleffer enquanto ele tentava pescar com camarão morto e essa oveva maiorzinha atacou no camarão de borracha.

A oveva não resistiu ao camarão.

Até que a maré repontou e passou a encher, com a maré subindo a esperança foi se esgotando de encontrar os robalos, mas minha teimosia rendeu um prêmio, pois com o motor ligado para partir eu dei um último arremesso e peguei um amiguinho bocudo!

Robalinho nos 45 do segundo tempo.

Foi o suficiente para convencer o Pleffer a desligar o motor e tentar, achamos um divertido cardume para esquecer dos problemas da capital e nos concentrarmos no trabalho, da isca! 😀

Pleffer se divertiu com as capturas também.

Conseguimos fisgar muitos pequenos, todos devolvidos para crescer.

Trocentos tricks fizeram nossa tarde passar rapidamente.

As vezes aparecia um maiorzinho, mas ainda com muito para evoluir!

Robalo maiorzinho.

Até que uma fisgada diferente e mais forte na isca no Pleffer, olha quem resolveu aparecer

Corvina já de tamanho interessante e meu micro-Snook.

Eu tentei algo maior e após uma briga emocionante, com carretilha cantando, aparece esse belo baiacu arara.

Baiacu brigador e destruidor de camarões.

Mais uma foto do Arara “de medida!”

Esses bichos são bem vorazes.

Alguns robalinhos depois, outro Arara de bom tamanho aparece.

Mais um baiacuZão!

Tentei resgatar meu camarão mas já era tarde!

Adeus camarão, vá em paz!

Depois desse dia frio mas com muitas ações, ainda tentamos pescar na proximidade da barra de bertioga mas sem sucesso. Nem havia do que reclamar, o dia teve muitas ações e ficará guardado com carinho em minhas memórias de pesca.

Hora de voltar e se despedir do frio que estava fazendo.

Estatísticas:
– 20 a 30 capturas por pescador
– Espécies (por ordem de predominância): Robalo (90%), Baiacus, Ovevas e 1 Bagre (somando os 10% restantes).
– Tempo de pesca: 9 horas

Material utilizado:
– Softbait de camarão (Montagem Banzai Rig) Cores Chá-Vermelho e Violeta
– chumbo de 10g
– Vara Torqued 17lb
– Multifilamento 15lb
– Leader Fluorcarbon 25lb

  • Eduardo

    Muito bom. Pelo menos ajuda a espantar o frio. As Caratingas também não estavam muito ativas nesse dia.