Pages Menu

Postado por em 13 jul 2015 em Água salgada, Destaque, Fishing Stories | 10 comentários

Pescaria de robalo em São Vicente

Pescaria de robalo em São Vicente

Olá amigos pescadores, depois de algumas semanas sem colocar o material de pesca para trabalhar, resolvemos ir para São Vicente fazer uma pescaria com o amigo Renato Doria, grande pescador e experiente na região costeira de Santos.

Marina Cortamar, também conhecida como Marina do Seu Yu,

Marina Cortamar, também conhecida como Marina do Seu Yu.

Esta seria a nossa segunda pescaria na região de São Vicente, sendo que na primeira pescaria com o Renato tínhamos acertado bons robalos-pevas na famosa região do porto de Santos, conhecida como “navio afundado”.

Depois de uma semana castigada por fortes ventos na baixada santista, finalmente uma janela do primeiro dia em que o tempo iria melhorar e com ótimas condições do tempo que favoreceriam a nossa pescaria. Neste dia, segundo a previsão do app MyFS, teríamos uma pressão atmosférica estável na casa dos 1016mb, vento moderado, 3º dia da lua minguante e uma ótima variação de maré.

Condições do tempo para pesca, aplicativo MyFS

Condições do tempo para pesca, aplicativo MyFS

 

Depois de tomar o café da manhã e colocar o papo em dia com o Sr. Yu, preparamos as tralhas e logo embarcamos rumo a costeira de Santos.

Eu, meu pai e Renato partindo para a pescaria

Eu, meu pai e Renato partindo para a pescaria

Com menos de 5 minutos de navegação, Renato nos apresentou um point que fica localizado logo ao lado da Ilha Porchat, onde dizia que era um ótimo local para fisgar os Pevas no jumping jig e jig head. Como já estava com uma vara armada com jumping, eu e meu pai iniciamos os trabalhos e pindocadas perto das rochas.

Primeiros arremessos ao lado das pedras da Ilha Pochat

Primeiros arremessos ao lado das pedras da Ilha Porchat

Não demorou muito até que o primeiro pevinha desse as caras por lá.

Robalo-Peva fisgado no PAC24 gramas, na cor chumbo com cinza

Robalo-Peva fisgado no PAC24 gramas, na cor chumbo com verde limão

Mas apesar de sua presença, pareceu ser filho único por lá. Então partimos rumo ao navio afundado para descer o camarão vivo e as varas robaleiras em busca dos pevões.

Chegando a linha do navio, alguns robaleiros marcavam presença durante a subida da maré

Chegando a linha do navio, alguns robaleiros marcavam presença durante a subida da maré

Enquanto as robaleiras trabalhavam sozinhas, insistíamos trabalhando os jumping jigs

Enquanto as robaleiras trabalhavam sozinhas, insistíamos trabalhando os jumping jigs

Mas apesar de nossa insistência, nem os ladrões de iscas deram sinal de vida. Seguimos então rumo a costeira que faz divisa com Santos e Guarujá, conhecida como Guaiúba.

Mais um belo point que eu nunca havia pescado.

Mais um belo point que eu nunca havia pescado.

Expectativa grande em utilizar o novo set de equipamentos: Vara Celta Permit e Molinete Daiwa Caldia 3000

Expectativa grande em utilizar o novo set de equipamentos: Vara Celta Permit e Molinete Daiwa Caldia 3000

Depois de muito tempo insistindo finalmente as robaleiras resolvem beber água e um belo doublê de pevas apareceu para nos dar alegria.

Renato e Eu com um par de pevas

Renato e Eu com um par de pevas

Em seguida a robaleira do meu pai também indicava peixe na linha.

Em seguida a robaleira do meu pai também indicava peixe na linha.

Um belo peva embarcado!

Um belo peva embarcado!

Conferindo a ação da vara Permit

Conferindo a ação da vara Permit

Mais peva na linha

Mais peva na linha

Liberando a filhotada, a pedido do amigo José Souto para engordarem até a próxima pescaria

Liberando a filhotada, a pedido do amigo José Souto para engordarem até a próxima pescaria

Depois das ações nas robaleiras, os peixes ficaram escassos mais uma vez, e ficamos literalmente a ver navios.

Navios atracados no porto de Santos

Navios atracados no porto de Santos

Aproveitamos o horário do almoço para conferir a Ilha da Moela, uma linda estrutura de pesca.

Ilha da Moela, localizada no Guarujá

Ilha da Moela, localizada no Guarujá

Pedra anexa a ilha da Moela

Pedra anexa a ilha da Moela

Experimentei arremessar um jumping jig Billy (20 gramas) da NS, e trabalhei na superfície assim como fizemos na expedição Black Mamba em Cananéia, e logo no primeiro arremesso um belo agulhão deu um show de briga.

Agulhão fisgado no jumping jig Billy da NS

Agulhão fisgado no jumping jig Billy da NS

Porém, apesar de bela, não encontramos mais nada jigando ao redor da Ilha da Moela.

O jeito foi partir para o almoço e comer um obentô na laje.

Almoço na laje #obentomania #fishingstories

A photo posted by André Nagae (永江アンドレ) (@andrenagae) on

Depois de um baquete desses, Renato resolveu nos levar de volta a Ilha Porchat para procurarmos os robalos no período da vazante, próximo a Ponte Pêncil.

Durante o trajeto de volta, registramos belas fotos da Orla de Santos.

Forte na entrada do canal de Santos

Forte na entrada do canal de Santos

Orla de Santos

Orla de Santos

E é exatamente nesses dias mais difíceis de pescaria que o bitelo resolve aparecer, justamente como se fosse uma forma de compensar toda a falta de ações durante o dia. Foram muitos anos de aventuras e buscas ao lado do meu pai atrás do tão sonhado flechão, e na persistência do pescador, um dia ELE chega para tornar o sonho em realidade.

Robalo-Flecha capturado por Armando Nagae, 10 de julho 2015

Robalo-Flecha capturado por Armando Nagae, 10 de julho 2015

O mais “engraçado” dessa captura, foi que descemos todas as 6 varas com camarão vivo para tentar fisgar o flechão. E entre os mais tops dos equipamentos equilibrados e prontos para a briga com um flechão, eis que o peixe entra no material mais inadequado para sua captura. Comeu justo o camarão vivo que estava iscado em uma vara Major Craft Go Emotion de 8 (OITO) libras. Vara de viagem montada em 4 partes e molinete 2500. Mas com toda habilidade do pescador e trabalho em equipe, conseguimos capturar o troféu.

Méritos também ao nosso capitão Renato Doria, que ligou o motor de popa e posicionou perfeitamente o barco em cima do peixe.

Méritos também ao nosso capitão Renato Doria, que ligou o motor de popa e posicionou perfeitamente o barco em cima do peixe.

Mais um registro do lindo peixe. 69 cm.

Mais um registro do lindo peixe. 69 cm.

E assim finalizamos com um grande sorriso estampado no rosto, mais um dia de pescaria.

Agradecimentos ao amigo Renato Doria pelo belo dia de pescaria e pelos ensinamentos de sempre do Sr. Yu.

Boas aventuras aos amigos pescadores e até a próxima.

André Nagae

  • Rodrigo Pacheco

    TOP!

    • fishingstories

      Valeu Pacheco! Grande abraço

  • Carlos Alexandre Tanikawa

    Extraordinário! Fizeram a festa e o Sr. Armando trouxe a cereja do bolo!!!! Parabéns mais uma vez!

    • fishingstories

      Esse Flecha foi pra fechar o dia com chave de ouro mesmo! Obrigado e abração Carlos!

  • Lincoln Donizete Gabriela Merc

    Sem comentários… Parabéns a todos!

    • fishingstories

      Muito obrigado Lincoln! Abração!

  • Decio Neto

    Linda aventura Nagae.. parabéns a você e ao sr. Armando Nagae e ao Guia pelo feito…

    Agora abriu a porteira… que venham muito mais flechoes na ponta de suas linhas … grande abraço

    • fishingstories

      Salve Decio! Muito obrigado amigo!
      Que venham muito mais para todos nós pescadores! Abraços

  • Sergio Pezcador

    parabens!

  • Rodrigo

    Parabéns a todos!