Pages Menu

Postado por em 18 mar 2014 em Água doce, Destaque, Fishing Stories, Internacional, Pescarias | 0 comentários

Pescaria de Trutas na Inglaterra

Pescaria de Trutas na Inglaterra

Olá amigos! Acaba de abrir a temporada de pesca de Trutas na Inglaterra e aproveitando esse evento e o embalo do dia de São Patrício, resolvi escrever sobre minhas 2 aventuras pelas bandas do Reino Unido. Em março de 2013 eu peguei férias e as aproveitei da maneira que mais gosto: viajando, bebendo e pescando. Vou tentar descrever com o máximo de riqueza o que fiz, mas caso isso se torne chato, basta olhar as fotos! 😀

Li o máximo que pude sobre a legislação e as técnicas, o predominante na Inglaterra é o fly fishing de Trutas, Graylings, Salmões e Pikes ( Lúcios ). Para isso me inscrevi num curso de fly fishing ainda em São Paulo, que foi cancelado e consequentemente afundou meus planos de chegar aqui sabendo alguma coisa.

Só com o planejamento turístico, procurei os locais que aparentemente eram mais piscosos e comecei a entrar em contato com os guias (1 semana antes de viajar), mas quando eu falava que era do Brasil, não sabia fly e que queria pescar a maioria achava que eu era sem-noção, ou rico e excêntrico, me cobrando horrores rsrs. Até que uma alma santa se candidatou a me ensinar o básico sobre os arremessos no fly e com isso eu poderia pescar em seguida com ele, soou perfeito e eu fiz a reserva com ele.

Parti dirigindo de Londres, fazendo paradas em cidades que gostaria de conhecer até no sexto dia de viagem chegar à região de nome “Lake District”, uma região Serrana ao Norte da Inglaterra, conhecida pelas belas paisagens e inspiração para muitos livros. Lá encontrei com o guia que contratei, Geoff e partimos em direção ao point de pesca, o Rio Éden.

Cavernas a beira do rio, não é difícil saber de onde buscam inspirações para as histórias inglesas.

Cavernas a beira do rio, não é difícil saber de onde buscam inspirações para as histórias inglesas.

Água límpida.

Água límpida.

A temperatura fora da água era de uns 3 graus, dentro arrisco a dizer que estava menos…

Pensem numa pessoa que passou frio, essa pessoa era eu.

Pensem numa pessoa que passou frio, essa pessoa era eu.

Lá ele me emprestou um wader e um equipamento #6, demonstrou uns arremessos como o loop e o overhead cast, treinei por umas 2 horas até que meu arremesso ficasse apresentável. Feito isso, Geoff fez um tipo de chicote com 2 moscas, uma Spider black e uma olive na ponta, que seria de fundo. Eu já estava descrente que aquilo pegaria alguma coisa, num rio tão raso e com a água tão gelada, entramos no rio e enquanto ele demonstrava onde eu tinha que arremessar pegou um peixe, uma Grayling de bom tamanho. A deixa estava dada e eu comecei a arremessar, desastrosamente via os peixes bem ativos atacando na superfície sem dar bola pra minha isca. Quando me concentrei no cast, o peixe começou a atacar e finalmente MEU PRIMEIRO PEIXE IN UK:

Primeira Truta-Marrom de minha vida.

Primeira Truta-Marrom de minha vida.

Uma truta marrom, esses pequenos são bem lutadores, agora entendo o brilho nos olhos dos pescadores de fly. Depois de mais uns ataques, pesquei uma Grayling, é um belo peixe e briga tanto quanto a Truta, o guia ficou mais feliz por mim, porque é um peixe que não tem no Brasil.

Grayling e nipo-brasileiro congelando.

Grayling e nipo-brasileiro congelando.

A partir daí eu passei a congelar, mesmo com o wader, a troca de calor com o ambiente já tava me fazendo mal. Saí do rio e aproveitei para almoçar, tomei um café quente até me sentir renovado. Voltei arremessando bem, o guia perguntou o que tinha no café que levei kkkk. Já estava o Indiana Jones da parada, quando o vento veio pra estragar a festa. Caminhamos no rio e hora ou outra eu tinha uma ação ou outra de truta ou grayling.

Pequenas e vorazes Trutas também deram as caras.

Pequenas e vorazes Trutas também deram as caras.

A pescaria consistia em caminhar pelo rio, batendo os poços e outros pontos. 3 arremessos, 3 passos basicamente.

Linda paisagem para se pescar/congelar e falar sobre a diferença  da pesca no Brasil.

Linda paisagem para se pescar/congelar e falar sobre a diferença da pesca no Brasil.

Grayling brigadora e eu parecendo uma foca.

Grayling brigadora e eu parecendo uma foca.

Já no fim do dia e da pescaria, num point escaparam 3 trutas seguidas enquanto saltavam, peixinho tinhoso, isso porque eu estava soltando elas :-S

Pesque e solte :)

Pesque e solte :)

Correnteza moderada que exige cuidados.

Correnteza moderada que exige cuidados.

O saldo final foi: 3 trutas marrons e 5 graylings que empatou com o número de peixes que escaparam antes, 8 fisgadas com brigas, porém com o peixe escapando antes.

Grayling sempre brigadora.

Grayling sempre brigadora.

Publicarei em breve a outra pescaria que fiz mais ao norte, na Escócia em busca dos Salmões, caso tenham dúvidas sobre como fazer uma pescaria dessas no exterior, comentem, farei o possível para ajudar 🙂

Mais uma brigadora.

Mais uma brigadora.

*Para se pescar na Inglaterra é necessário obter licença de pesca, mas há várias opções: 1 dia, 1 semana, 1 mês e temporada :), fora isso é necessário ter autorização para pescar nos rios, pois eles são de propriedade do dono das terras por onde passam, por isso recomendo que se contrate um guia que cuide desses desdobramentos. A licença pode ser obtida em qualquer agência de correio 🙂

** site do guia Geoff, super gente fina e indubitavelmente eficaz, pois peguei meus primeiros peixes com fly fishing sem saber nada graças a ele.
http://www.theedenangler.co.uk/