Pages Menu

Postado por em 30 jul 2013 em Destaque, Fishing Stories, Points | 3 comentários

Troféu na Praia de Boiçucanga

Troféu na Praia de Boiçucanga

Bom dia amigos pescadores!

E neste final de semana descemos para a bela praia de Boiçucanga, localizada no litoral norte paulista, para participar o torneio de pesca com caiaques.

O amanhecer na praia de Boiçucanga

Porém, como já havia sido avisado pelos organizadores do evento, existia a grande chance do mesmo ser cancelado, se no dia o mar não oferece-se condições para pescarmos com segurança.

Logo as 8am, dava para notar que o mar estava num dia ruim daqueles. E foi só eu me encontrar com os organizadores, Armageddom (Caiaqueiros Boiçucanga) e Tonhão (Pesca Náutica e Cia), que os fatos haviam sido concretizados.

Eu, Tonhão (Pesca Náutica e Cia) e Armageddom (Caiaqueiros Boiçucanga)

O jeito foi ficar a ver marolas... rs

O torneio acabou sendo adiado para o dia 17 de agosto, e vocês ainda tem tempo de se inscrever mandando um email para: caiaqueiros@uol.com.br (Armageddom) ou contato@pescanauticaecia.com.br (Tonhão).

Apesar da frustração de não poder sair pro mar, foi muito bom conhecer esses 2 grandes pescadores e poder conversar melhor sobre os seus trabalhos e também com os demais pescadores que estavam reunidos por lá. Obrigado a todos pelas conversas!

Mas aproveitando que já estava com todas tralhas carregadas e a vontade de pescar era enorme, não perdemos tempo e resolvemos ir para as pedras que fazem divisão entre o canal e a praia de Boiçucanga.

Pedras que dividem o canal da Praia de Boiçucanga

Alguns pescadores locais também estavam no point.

Tentando com camarão morto na entrada do canal, acabei fisgando uma espécie que eu nunca tinha visto ao vivo.

Peixe exótico fisgado com camarão morto no canal de Boiçucanga

Depois de algumas pesquisas e conversar com um Biólogo, descobrimos que possívelmente se trata do “Pomadasys ramosus“.  Uma espécie que teve algumas poucas ocorrências de capturas no Ceará, São Paulo e Santa Catarina. Mas embarcamos o peixe e vamos entregá-lo ( apenas a cabeça =/ ) ao Biólogo para um estudo mais profundo. E assim que tivermos novidades escreveremos uma matéria específica sobre ele aqui no Fishing Stories.

 

Voltando a pescaria, insisti mais um tempinho nas pedras, mas a única coisa que saiu foi uma pequena corvininha, que foi rapidamente devolvida a água.

Pequena corvininha pega no camarão morto

Nisso o tempo piorava cada vez mais. Além do vento, a maré entrava muito forte no canal e com isso a água ficava cada vez mais suja.

Entrada do canal de Boiçucanga

O jeito então foi procurar um point mais abrigado, e resolvemos ir para a curva do canal.

Os amigos Tiago Pleffer e Banzai também persistindo na pescaria.

Os amigos Pleffer e Banzai também insistiram bastante nos pointzinhos, mas os peixes não queriam comer nada. Nem no camarão morto, nem no tão eficiente Banzai Rig. Parecia que o dia havia sido mesmo arruinado pelas péssimas condições do tempo.

Banzai também insistindo no Camarão Artificial com Banzai Rig

Mas foi isso aí! Apesar de não ter sido um dia muito produtivo para a pescaria, conseguimos manter o bom papo em dia, conhecer novos pescadores e também capturar uma nova espécie de peixe!

#Fim do primeiro dia…

 

Dia 2 | 28/07/2013

Acordei meio tarde no domingo, lá em Boiçucanga, mas para a minha surpresa ao abrir a janela vi que o céu estava 100% azul e dava para ver que a cor do mar já era totalmente outra comparando com o sábado. Bem melhor.

Dia ensolarado sem nuvens na Praia de Boiçucanga

Tomei café da manhã rapidinho e aproveitei que o pessoal da casa estava levantando, para correr na peixaria e garantir um pouquinho de camarão para pescar umas 2 horinhas na praia. Aproveitando que meus amigos iriam fazer um tempinho por lá pra tomar sol, eu aproveitei é mesmo para pescar! 😀

Paula pescando na deserta praia de Boiçucanga.

Depois de algumas beliscadas perdidas, eis que sai o primeiro peixe do dia: um simpático Parati Barbudo.

Primeiro peixe do dia: Parati Barbudo

E algum tempinho depois, um pequeno e valente Pampo Galhudo.

O valente pampo galhudo.

Foi então que em um de meus últimos arremessos antes de ir embora para almoçar, sinto uma batida forte e em seguida a linha totalmente folgada no molinete. Pensei comigo mesmo: “Não é possível! Será que algum baiacu cortou a minha linha?“.

Mas ao ver a linha correndo para o lado, percebi que era algo maior que tinha pegado a isca e correu em direção a praia, então recolhi rapidamente a linha até que senti o peso do peixe. E acredito que nessa hora ele também sentiu a resistência da linha e partiu rasgando tudo pro fundo.

Uma forte briga travada no equipamento ultralight, enfrentando o peixe e a quebradeira das ondas.

Foram 5 minutos intensos de briga no equipamento light. Molinete 500 com pouca capacidade de linha (pois estava pescando em beira da praia) que quase ficou para contar a história. Mas a vontade de capturar aquele bitelo inesperado e totalmente novo pra mim na pesca de praia, era muito grande.

Brigando com a corvina no material ultra light.

Em alguns momentos eu chegava a entrar bastante na água com medo de perder o peixe. E que adrenalina boa!

Eis que então surge a bitela. Uma bela corvina de 2kg!

Corvina de 2kg pega no material ultralight.

Detalhe do anzol de modelo Chinu tamanho 10. Parecendo mais um piercing na corvinona.

O meu medo em perder esse peixe era grande por 2 motivos:

. Havia montado esse equipamento para pescar na beira de praia, com material leve atrás dos pampos e paratis;

. A pernada que eu estava utilizando era com um anzol chinu tamanho 10! Se não estivesse bem fisgado e não trabalhado bem, haveria grandes chances de soltar;

Troféu do final de semana!

Material utilizado:

. Vara: 1,60m (5 pés);

. Molinete: tamanho 500;

. Linha: 20lbs (0,23mm) | 8 fios – multifilamento

. Isca: Camarão branco descascado

. Anzol: Chinu 10

Mas foi isso aí pessoal!

Mesmo não participando do Torneio de Pesca de Caiaques no final de semana, acabei garantindo o meu troféu.

Um final de semana que superou minhas expectativas depois do cancelamento do Torneio, com a captura da espécie diferente e uma corvina deste tamanho na pesca de praia. Coisas que acontecem que fazem te motivar cada vez mais a persistir nos points de pesca que você acredita. A acreditar no material de pesca que você tem e montou com tanto carinho e a agradecer aos amigos que ajudaram a fazer isso acontecer.

Uma boa semana a todos e boas pescarias!

André Nagae.

  • Mauricio de Souza

    Apesar de o mar não estar em condições de navegar, ainda estava em condições de pescar!!!

  • Edson Luiz

    Que inveja danada !! Parabéns pelas dicas e pelo Blog.
    Espero que dê tudo certo e estarei indo para Perequê no mês de Agosto atrás das espadas e corvinas.
    Um abç à
    todos

  • Armageddom

    Parabéns Nagae belo peixe, e como sempre digo o mar surpreendente.