Pages Menu

Postado por em 30 maio 2017 em Água doce, Destaque, Fishing Stories, Pescarias | 1 comentário

Tucunarés em Nazaré Paulista

Tucunarés em Nazaré Paulista

Olá, pescadores! Desde criança eu ouvia falar da Represa de Nazaré Paulista, viciado em pesca que eu era, sempre quis ir, mas nunca tive a oportunidade. A vida adulta chegou, as pescarias de robalo, tucunarés e outros compromissos, postergaram demais a visita. Mas, HOJE NÃO!, com o começo do frio na temporada, queria fazer uma pescaria de tucunarés, sendo assim, liguei para o meu amigo Demétrio e combinei a pescaria, finalmente iria para a Represa de Nazaré!

Iscas

As iscas seriam as que colecionei nos últimos anos, em mente já sabia quais eu tentaria mais:

– Tiemco – Red Pepper Baby (fez sucesso em Igaratá)
– Jackall – Bonnie 85 Fire Tiger (o Ricardo Valim sempre falou que teve sucesso com essa isca)
– Evergreen – Spin Move Shad (terror dos tucunas na profundidade)

Localização

A represa fica bem próxima de São Paulo, vale a viagem!

Viagem curta em busca dos Tucunarés.

A Pescaria

Saímos por volta das 7:30 da manhã, havia uma previsão de chuva e com isso, o medo dos peixes fecharem a boca ou de ter muito vento na represa.

Time pronto para a pescaria: Demétrio, Tiago e eu.

Mas logo de cara, tivemos ações dos peixes no primeiro ponto.

O primeiro a tirar o dedo foi o Tiago!

Eu ainda aquecendo o braço, fisguei algo bom, que foi para a pauleira e me deixou a ver navios.

Em seguida, eu acertei o meu, as ações começaram cedo.

A Red Pepper me levando aos peixes 😉

Minha Red Pepper de sempre, sou viciado nessa isca.

Dia equilibrado entre os pescadores, praticamente o dia todo cada um pegou o seu peixe em cada ponto.

Peixe maluco esse tal tucunaré, menor que a isca que já era das pequenas.

O dia demonstrava ser o inverso da expectativa, sem chuva e com muita ação! Valeu a pena o esforço para aproveitar o último final de semana com águas ainda quentes nas represas.

Democraticamente, peguei o meu miúdo também.

Inúmeras ações em todos os pontos visitados.

Demétrio acertando mais um bitelinho!

Ao longo do dia, fui mudando as iscas, tentando encontrar os peixes maiores, a segunda isca foi a Bonnie, a intenção era pegar peixes maiores, masssss…

Essa cor de Bonnie fez sucesso, quem diria.

Um maiorzinho na Bonnie.

Tucunaré é diversão na certa.

Em todos os pontos, os 3 pescadores do barco tiravam algo. Cada um apostando no seu xodó de isca.

Esses tucuninhas são muito bonitos!

É tois!

Na hora da pegadeira, só selfie mesmo.

Ação em todos os pontos

O dia seguia muito legal, com ação em todos os pontos. E o mais legal, em iscas de superfície. Tem coisa melhor que isso?

A Bonnie Fire Tiger foi sucesso total!

Dublê de tucuninhas.

1 isca, 2 peixes… para poucos…

A OCL Jerk também tirou alguns da água.

Tiago testava tudo que é isca.

Detalhe do belo triquinho.

O Tiago não ficava para trás.

Finalmente achamos uns cavalos, mas não dava pra pescar eles…rsrsrs (e eram meio burros…)

Troféus de Fim de Pescaria

Ao final do dia, havíamos enjoado de pegar tricks, e como um final perfeito, o Demétrio acertou o maior do dia!

E o maior do dia, foi o Demétrio que pegou… belo peixe!

Belo tucuna!

Em seguida, o Tiago achou um também, mais um belo peixe!

O Tiago tirou o seu maior peixe também!

E eu achando que ficaria de fora da festa, achei o meu também 🙂 que dia!

O meu troféu do dia.

Ufa! Foi por pouco!!! Tirei o meu maiorzinho ao fim da pescaria!

Equipamento

Usei o meu coringa de sempre:

– Vara Custom by AK 15lb 5’8″ blank lamiglass
– Carretilha Daiwa Alphas 103 Type-F
– Linhas Varivas Seabass PE 1.5

E foi assim que me “despedi” da temporada de Tucunarés na região mais próxima de São Paulo, mas aparentemente, ela está continuando, os peixes tem que se alimentar, basta achá-los 😉

  • Valter Augusto Fernandes

    Me encheu de esperanças! Assim que voltar a esquentar, vou fazer essa sonhada pescaria. Essa foi show, muito peixe… o tamanho é só um detalhe.